Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - terça-feira, 7 de fevereiro de 2023

M Claros: "....estabeleceram uma organização criminosa estruturada com funções diversas, dentre elas, um “tribunal do crime”, instituído para penalizar pessoas que agiam em desacordo com suas regra".

Segunda 28/11/22 - 16h59


Divulgação da Polícia Civil:


Homem que punia suspeitos de furtos é preso pela PCMG em Montes Claros




A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) cumpriu, na última quarta-feira (23/11), mandado de prisão preventiva contra um homem, de 36 anos, suspeito de integrar um grupo criminoso que punia com agressões e ameaças pessoas que cometiam furtos na região do bairro Cidade Industrial, em Montes Claros, Norte do estado. Outros dois envolvidos, de 25 e 38 anos, tiveram os mandados cumpridos no sistema prisional e permanecem acautelados. Eles respondem pelos crimes de tortura e sequestro.
A investigação teve início no mês de maio deste ano, depois que duas vítimas, suspeitas de cometerem furtos na região, foram capturadas e levadas até um sítio onde sofreram agressões e ameaças, sendo submetidas a intenso sofrimento físico e psíquico.

O delegado Diego Flávio Carvalho, responsável pela investigação, disse que as agressões foram tão intensas que uma das vítimas sofreu uma fratura em uma das pernas. Na ocasião, um dos investigados foi preso em flagrante pelo crime.

Durante levantamentos realizados no curso do inquérito policial, os policiais civis identificaram outros três suspeitos de envolvimento nessa modalidade criminosa. A investigação demonstrou, ainda, que eles estabeleceram uma organização criminosa estruturada com funções diversas, dentre elas, um “tribunal do crime”, instituído para penalizar pessoas que agiam em desacordo com suas regras. “Além das agressões físicas e psicológicas, os suspeitos, usando de grave ameaça, expulsavam das próprias residências os moradores que atentavam contra o interesse do grupo”, pontuou Diego.

O delegado esclarece que, em razão da gravidade dos fatos, periculosidade dos membros e antecedentes dos investigados, representou pela prisão preventiva de todos eles, sendo que dois já estavam presos por envolvimento nos fatos. O terceiro envolvido foi detido na última quarta-feira, durante trabalho conjunto das polícias Civil e Militar. O quarto integrante, de 23 anos, ainda não foi localizado.

Os envolvidos possuem antecedentes criminais por tráfico de drogas e roubo. O inquérito policial segue em andamento na 4ª Delegacia de Polícia Civil em Montes Claros, e os suspeitos encontram-se no sistema prisional, à disposição da Justiça.

***

Jornal Estado de Minas, de BH:

Grupo é suspeito de sequestrar e torturar acusados de furto em Minas

Terceiro integrante foi preso em Montes Claros, no Norte do estado, e outro está foragido; uma das vítimas teve a perna fraturada durante sessão de tortura

Bruno Luis Barros

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informou nesta sexta-feira (25/11) que um homem de 36 anos foi preso preventivamente em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, suspeito de integrar um grupo criminoso que punia com agressões e ameaças pessoas que cometiam furtos na Região do Bairro Cidade Industrial.

Outros dois indivíduos, de 25 e 38 anos, já haviam sido presos anteriormente. A prisão do terceiro integrante aconteceu na última quarta-feira (23/11) durante trabalho conjunto das polícias Civil e Militar. As autoridades ainda estão em busca de um quarto suspeito, de 23 anos. Todos eles irão responder pelos crimes de tortura e sequestro.

As investigações começaram em maio deste ano, quando duas vítimas, suspeitas de furtos na região, foram capturadas e levadas até um sítio. Nesse local, conforme a Polícia Civil mineira, elas “sofreram agressões e ameaças, sendo submetidas a intenso sofrimento físico e psíquico”.

Responsável pela investigação, o delegado Diego Flávio Carvalho explica que a violência foi tão intensa que uma das vítimas sofreu uma fratura em uma das pernas. Além disso, os envolvidos estabeleceram uma organização estruturada em diversos setores – um deles era responsável por penalizar, por meio de um “tribunal do crime”, aqueles que não respeitavam as regras impostas.

“Além das agressões físicas e psicológicas, os suspeitos, usando de grave ameaça, expulsavam das próprias residências os moradores que atentavam contra o interesse do grupo”, pontua o delegado, destacando que “em razão da gravidade dos fatos, periculosidade dos membros e antecedentes dos investigados, representou pela prisão preventiva de todos eles”.

Os suspeitos possuem passagens na polícia por tráfico de drogas e roubo, e os três indivíduos presos seguem no sistema prisional à disposição da Justiça. O inquérito policial está em andamento na 4ª Delegacia de Polícia Civil em Montes Claros.


***

Jornal O Tempo, de BH:

Polícia prende homem que agredia ladrões em Montes Claros

Ele foi alvo de uma operação feita da Polícia Civil; outros dois homens que já estão presos também foram investigados

Rayllan Oliveira

Um homem de 36 anos foi preso suspeito de sequestrar e torturar pessoas que cometiam furtos na região do bairro Cidade Industrial, em Montes Claros, na região Norte de Minas Gerais. Ele foi alvo de uma operação realizada pela Polícia Civil (PCMG), que cumpriu um mandado de prisão preventiva contra ele. Outros dois envolvidos, de 25 e 38 anos, tiveram os mandados cumpridos no sistema prisional e permanecem presos. A polícia procura por um quarto envolvido.

De acordo com a Polícia Cívil de Minas Gerais, os homens são suspeitos de fazer parte de uma organização criminosa que punia com agressões e ameaças autores de furtos na região. A investigação teve início em maio deste ano depois que duas vítimas, suspeitas de cometerem furtos na região, foram capturadas e levadas até um sítio onde sofreram agressões e ameaças. A dupla teria sido submetida a intenso sofrimento físico e psíquico.

O delegado da PCMG e responsável pela investigação, Diego Flávio Carvalho, contou que as agressões foram tão intensas que uma das vítimas sofreu uma fratura em uma das pernas. Na ocasião, um dos investigados foi preso em flagrante pelo crime.

Ainda de acordo com as investigações, o grupo funcionava como um "tribunal do crime", que tinha como objetivo punir pessoas que agiam em desacordo com as regras definidas por eles. “Além das agressões físicas e psicológicas, os suspeitos, usando de grave ameaça, expulsavam das próprias residências os moradores que atentavam contra o interesse do grupo”, pontuou o delegado.

O inquérito policial apontou ainda que os envolvidos possuem antecedentes criminais por tráfico de drogas e roubo. A investigação segue em andamento na 4ª Delegacia de Polícia Civil em Montes Claros e os suspeitos encontram-se no sistema prisional, à disposição da Justiça.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais